Bloomberg the Company & Products

Bloomberg Anywhere Login

Bloomberg

Connecting decision makers to a dynamic network of information, people and ideas, Bloomberg quickly and accurately delivers business and financial information, news and insight around the world.

Company

Financial Products

Enterprise Products

Media

Customer Support

  • Americas

    +1 212 318 2000

  • Europe, Middle East, & Africa

    +44 20 7330 7500

  • Asia Pacific

    +65 6212 1000

Communications

Industry Products

Media Services

Follow Us

IPCA-15 mostra inflação abaixo de 6% pela 1ª vez desde 2010

Don't Miss Out —
Follow us on:

17 de fevereiro (Bloomberg) -- O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 subiu menos do que o esperado em fevereiro e no acumulado de 12 meses ficou abaixo de 6 por cento pela primeira vez desde dezembro de 2010.

Os preços, medidos pelo IPCA-15, subiram 0,53 por cento até o meio de fevereiro, caindo em relação aos 0,65 por cento de janeiro, e abaixo da mediana das estimativas de 46 analistas em pesquisa feita pela Bloomberg, que era de 0,56 por cento. A inflação em 12 meses desacelerou para 5,98 por cento.

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, tem prometido que os preços ao consumidor vão desacelerar para 4,5 por cento, nível que representa o centro da meta de inflação este ano. O crescimento recente da economia “abaixo do potencial” abriu espaço para reduzir mais as taxas de juros sem pressionar a inflação, disse Tombini em Mumbai este mês. A meta de inflação é de 4,5 por cento mais ou menos dois pontos percentuais.

A taxa dos contratos de juros com vencimento em janeiro de 2014, o mais negociado hoje, caiu cinco pontos base, ou 0,05 ponto percentual, para 9,60 por cento às 10:15.

A inflação desacelerou, motivada pelo grupo de Alimentação e Bebidas, que subiu 0,29 por cento ante 1,25 no IPCA-15 de janeiro. O grupo de Transportes teve deflação de 0,05 por cento, depois de subir 0,79 por cento em janeiro.

O crescimento econômico deve se acelerar no segundo semestre para uma taxa anualizada de mais de 5 por cento devido a medidas de estímulo do gverno, disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega, ontem. Economistas ouvidos pelo BC na pesquisa Focus divulgada na segunda-feira estimam que a economia vá crescer 3,3 por cento este ano e 4,1 por cento no ano que vem.

Para notícias relacionadas: Principais matérias em português: {TOP BR <GO>} Principais matérias em inglês: {TOP <GO>} Principais matérias sobre América Latina: {TOPL <GO>} Sobre mercados emergentes em inglês: {NI EM <GO>}

Please upgrade your Browser

Your browser is out-of-date. Please download one of these excellent browsers:

Chrome, Firefox, Safari, Opera or Internet Explorer.